quinta-feira, 2 de setembro de 2010

sobre preconceito

gettyimages

O cenário é o camarim da TV Tribuna. Lá está Léo Medrado, comandante da equipe esportiva da emissora, sendo maquiado por Elaine. O Pernambuco Dá Sorte tinha acabado de acabar e tinha ido lá pra pegar a minha bolsa. Helena comigo. Olhos fixados nas pinceladas de pó no rosto do apresentador. A fofa parecia intrigada. Até que pergunta em alto e bom som:

- Ô, mamãe, homem usa maquiagem, é?

Às vezes, filha. Quando o trabalho é na TV, homem usa um pouco de pó para tirar o brilho do rosto. Quando é ator e faz peças de teatro, também precisa usar maquiagem. Quer ver outra profissão que depende de maquiagem? Palhaço.

saindodamatrix.com.br

Tem também uma turma que hoje em dia a gente chama de emo e adora usar lápis embaixo dos olhos. Coisa considerada meio estranha por uma parte mais tradicional da nossa sociedade. De qualquer forma, eles continuam homens, mesmo fazendo uso de artifícios antes considerados apenas femininos. Então, eles podem usar maquiagem por causa do trabalho na TV e no teatro, mas também para se expressarem de alguma forma. Simples assim, viu?


Emos também gostam de usar piercing.

Tem muita explicação por aí sobre a origem dos emos, mas no geral, Lê, posso dizer que é uma geração de bandas de "rock emocional" que apareceu quando eu ainda era garotinha, na década de 80. No Brasil, a moda pegou em 2003 (quando o papai e a mamãe se organizavam para o casamento). Eles são poucos, mas identificados com muita facilidade. É uma turminha de comportamento geralmente emotivo e tolerante, e que veste roupas pretas, usa sapatos parecidos com tênis All-Stars, cabelos coloridos e franjas caídas sobre os olhos.

Tem gente que tem muito preconceito contra os emos. Preconceito, filha, é quando a gente julga as pessoas ou situações sem pensar muito. Preconceito é quando a gente acha que só nossa opinião é a correta. E, por isso, se sente no direito de falar mal, condenar, zombar. Não é legal, sabe?

Antigamente, por exemplo, muita gente achava que quem tinha tatuagens pelo corpo eram moças e rapazes problemáticos, preguiçosos e "barra pesada". Claro que entre os que tinham tatuagens havia os probemáticos, os preguiçosos e os "barras pesadas". Mas também havia pessoas completamente diferentes desse perfil. Hoje em dia, muita gente, mas muita mesmo, tem tatuagem. Gente de todo tipo.

O que quero dizer é que é muito importante que você respeite as pessoas e suas escolhas. Especialmente as minorias, aqueles grupos "mais diferentes". Não é tolerar, que significa "suportar goela abaixo". É aceitar. De verdade. Com o coração leve. Pra poder flutuar neste mundo cheio de nuances, escalas e peculiaridades.

5 comentários:

  1. Pois é Heleninha. Inclusive o seu papai tem tatuagem, e que por acaso eu acho o máximo. A titia vai fazer uma também, em homenagem a Joãozinho viu?

    Eu acredito Vivi que preconceito é a pior desgraça da humanidade. As piores tragédias giraram em torno disso, concorda? Procuro retirar de mim qualquer farpa de preconceito. Até de ter preconceito de quem é preconceituoso. Acho que esse ainda me resta.

    ResponderExcluir
  2. A minha "maquiagem" será em forma de tatuagem Pequenina..serão tatuadas em meu ombro 5 estrelinhas (Você, Lucas, João Vinicius, João Gabriel e Bruno).
    Titia Lalau te amaaaa e muitooo!

    ResponderExcluir
  3. Apesar de hoje ter comentado pela primeira vez, leio sempre que recebo um mail avisando de alguma coisa nova. Adoro! Mas geralmente não comento pq estou na correria do trabalho. Mas essa eu não podia deixar de comentar... Parabéns, Vivi e Helena o blog é demais!!!
    Estamos com saudades, vamos marcar de nos encontrarmos, né??
    Adorei a matéria!!
    Um beijão pra vc e pra essa coisinha gostosa.
    Lorena Frota.

    ResponderExcluir
  4. Lore,

    Pois volte sempre, porque olha que coincidência: a gente te adora também! Beijos pra Mairoca, sua linda. :)

    ResponderExcluir
  5. adoro emos quero ser uma tambem ...S2...S2...S2...

    ResponderExcluir