quarta-feira, 22 de setembro de 2010

brinquedos e brincar

Eu nunca pude ter muitos brinquedos, Helena. Meus mesmo foram muito poucos.

A ursinha Peposa, que tinha um dedo polegar saliente que eu conseguia prender dentro da boca dela. É, ela gostava de chupar dedo. Era de pelúcia, marrom, e eu ganhei de Natal do Papai Noel. No dia 25 de dezembro de um ano distante, quando eu acordei cedinho, aquela caixona embrulhada em papel estampado estava lá, embaixo da mesa da sala do apartamento 403. Foi lá que eu deixei meu sapatinho (devia ter sido na varanda ou na janela, né?). Hoje, fico pensando em como o Papai Noel conseguiu entrar na minha casa se nela não tinha chaminé e as portas sempre estavam trancadas. Mas ele sempre dá um jeito.

A Peposa
No meu aniversário de 6 anos, ganhei a minha Moranguinho. Não lembro bem de quem, mas acho que foi de uma amiga da sua vó Raquel.  Era linda e cheirosa como nenhuma outra boneca. Naquele mesmo aniversário, ganhei também a casa da Moranguinho, algo parecido com a casa da Fifi e os Floriguinhos, que o papai te deu de presente alguns meses atrás.

A Moranguinho
A Escolinha da Moda, presente do vovô Abreu, pai do vovô Keko. Vinha com vários moldes de roupas de cima e de baixo que eu podia combinar, e também com estampas que eu podia usar de formas variadas. Passei férias inteiras brincando de ser estilista (pessoas da moda que trabalham desenhando peças de roupas).

A Escolinha da Moda
O Dr. Tratadentes, parecido com aquele brinquedo que você já tem: a cabeça de plástico de um homem com boca aberta, banguela e com vários buraquinhos no lugar dos dentes para que a gente pudesse fazer os moldes com massinha de modelar branca. Eu adorava fazer as cáries dele com massa prateada e depois obturar com o obturador que vinha junto com o homem de cabeça de plástico.

O Dr. Tratadentes
 A sua realidade é tão diferente da que a minha foi, amor. Por motivos variados, que juntam sorte e trabalho, eu e o papai conseguimos ter uma vida melhor da que seus avôs tiveram. Os brinquedos que você coleciona hoje, espalhados por seu quarto, pela sala e pela varanda da nossa casa, certamente somam muito mais do que todos os que eu tive a minha infância inteira. Fique esperta: é preciso valorizar. Porque quando a gente tem muito o perigo é achar que as coisas vêm fácil. E cada novo brinquedo é apenas mais um. Perde importância. Por isso eu sou muito chata. Muito, muito mais do que o seu papai.

Já expliquei algumas vezes que a gente não pode ter tudo na vida - nem seria interessante, pode crer. Já expliquei também que o que nos falta é alimento que nos faz perceber a importância do que já temos. Então não dá para ter todos os brinquedos do mundo. É verdadeiramente impossível - do ponto de vista racional, físico e financeiro - que você tenha mais brinquedos. Só que para uma cabecinha de 3 anos e quase 10 meses, entender isso é um pouco difícil - e eu entendo. 

- Mamãe, eu quero esse brinquedo da televisão (um lava-jato).

- Ó, mãe, compra pra mim essa Barbie (Moda e Magia).

- Eu queria tanto essa sandália da Xuxa...

São os apelos de uma coisa chamada publicidade, tão perigosa quanto atraente. É preciso colocá-la no lugar certo.

Criei uma fórmula pra te fazer entender que brinquedos a gente ganha especialmente em datas importantes. E sugeri que você esperasse até o seu aniversário para pedir algum presente. Só um, porque nunca é possível ganhar todos numa só comemoração. 

Tudo isso pra te dizer que ontem, ao sair do oculista onde Nenê se consultou aqui em Maceió, entramos numa loja de brinquedos só pra ver. Uma loja enorme, no centro da cidade, de encher mesmo os olhos de qualquer criança. Você parou em frente a uma prateleira cheia de brinquedos de plástico coloridos. Ficou hipnotizada com a Sweet Fantasy, uma espécie de penteadeira da moda, cheia de penduricalhos para as mocinhas brincarem de secar o cabelo, penteá-los e arrumá-los.

A esta altura - e com o raciocínio a funcionar numa velocidade surpreendente, você começou a contar, com os dedinhos minúsculos, como quem estivesse somando e multiplicando. E ergueu a cabecinha, toda reveladora:

- Mamãe, eu quero ganhar isto daqui quando eu fizer 62 anos.

Tá anotado! Sweet Fantasy, da Cardoso, aos 62 anos.

Pois é... há uma fila de espera de 59 brinquedos.

10 comentários:

  1. kkkkkkkkk...que lindooo!!!acho que ela errou nas contas, não vivi??!!!

    bjs lindas!!

    Elaine Mendes

    ResponderExcluir
  2. Cada vez que leio fico imaginando as cenas! Parece que eu tô vendo Vivi falando!
    Helena é incrível! Dá vontade de dar um beijo bem forte na bochecha dessa menina linda!
    Afe maria, tu é muito fofa!
    Adoro as histórias!!!

    Bjussss, Karinaa!

    ResponderExcluir
  3. kkkkk... de onde ela tirou os 62 anos... ela é ótima!!! não tem como não se acabar de rir. Mas falando sério agora, queriam as crianças de hoje terem a infância que tivemos!

    ResponderExcluir
  4. Essa conta foi boa filha rsrsrsrsrs....
    Se cada aniversário serve de desculpa para a compra de um brinquedo, já temos pelo menos uns 59 esperando pra ser resgatado das prateleiras da Hi Happy (sua segunda casa). Será que eles ainda serão tão atraentes pra você depois de tanto tempo?

    ResponderExcluir
  5. kkkkkkkkkkkkkkkkk...adorei a idade que ela quer ganhar o presente. E haja tempo!!!
    Não tem preço esse diálogos com nossos pequenos, não é? Adoro essa inocência linda.
    Vamos curtir pq passa muuuuito rápido.

    Bjsss

    Paulinha

    ResponderExcluir
  6. OIII..
    Vi sua bonequinha moranguinho e não posso deixar de perguntar...
    vc tem ela ainda? voce quer me vender?
    atenciosamente

    Suelaine Valerio

    ResponderExcluir
  7. EU TENHO A MORANGUINHO MAS NÃO ESTÁ A VENDA.

    ResponderExcluir
  8. ADOREI O SEU ESCOLINHA DA MODA VOCÊ AINDA TEM SE VOCÊ TIVER ME VENDE?

    ResponderExcluir
  9. Estava pesquisando imagens da Moranguinho e acabei lenso o post todo. Amei.
    Que Deus abençoe grandemente você e sua linda família.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Tenho 16 anos. Tava vendo umas imagens da Moranguinho e acabei abrindo o post. Muitos me julgam por ainda colecionar brinquedos. Mas as minhas bonequinhas favoritas como a minha Moranguinho são guardadas na caixa. Minha mãe era como vc, me fazia esperar até meu niver ou o Natal para escolher um presente. Isso realmente me fez aprender a dar valor as pequenas coisas e ao esforço q meus pais faziam para me presentear com oq eu pedia. Meus parabens, q sua filhinha Helena, vc e sua familia sejam mto abençoados por Deus. Continue assim com sua princesinha q com certeza ela se tornara uma grande mulher. Obs: Adorei o blog!... Att: Bianca Fernanda...

    ResponderExcluir