terça-feira, 20 de julho de 2010

yellow submarine



Tem músicas, Helena, que são imortais. Grupos que são imortais. Artistas tão talentosos e cativantes que permanecem vivos mesmo depois de terem partido rumo a outros tempos e lugares. Os Beatles. Eles são eternos. Poderia ter sido mais uma banda de rock britânica da década de 60. Em vez disso, foi a banda. John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Star conquistaram o mundo e infinitas gerações.

Os Beatles tiveram mais álbuns no topo das paradas britânicas do que qualquer outro ato musical. De acordo com a RIAA, eles venderam mais álbuns nos Estados Unidos do que qualquer outro artista. Já foram honrados com sete Grammy Awards, e quinze Ivor Novello Awards da BASCA. Já venderam mais de um bilhão de discos.

Em 1970, quando a banda chegou ao fim, cada músico seguiu para uma carreira independente. Paul McCartney e Ringo Starr continuam ativos; Lennon foi baleado e morto em 1980, e Harrison morreu de câncer em 2001.

Aprendi a gostar dos Beatles quando me interessei por um álbum de seu avô ainda criança. Tinha uns 9 anos. Fiquei hipnotizada com “Help”. Depois, tive um namoradinho que adorava a banda e com ele acabei conhecendo mais sobre o grupo. Depois, já na época da faculdade, estudei com Sofia Zanforlin, amiga querida até hoje. Ela adorava a banda. Quando íamos à faculdade juntas, o caminho percorrido parecia menor só porque os Beatles ajudavam a gente a ver graça naquelas horas perdidas no trânsito.

Tenho no carro um CD com algumas músicas deles. Gosto de todas e canto a maioria. As que falam de amor tocam profundamente. São as minhas preferidas.

E não é que os Beatles ganharam mais uma fãzoca? Uma fãzoca-mirim: você, filha!

- Mamãe, eu quero Yellow Submarine!

É a sua preferida, amor. Yellow Submarine. “We all live in a yellow submarine, yellow submarine, yellow submarine// We all live in a yellow submarine, yellow submarine, yellow submarine”. Você adora cantar. Já devo ter ouvido umas 637 vezes, mas não enjôo nadinha. Ao contrário. O submarino amarelo tem cada vez mais graça.

Um comentário:

  1. Ai, adoro os beatles, quando eu tiver um filho, espero que ele goste também. Adoro teus textos, vivi.
    beijos.

    ResponderExcluir