segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

no calar da madrugada

Depois de uma semana de noites ininterruptas de sono (o que será que Maceió tem?), a rotina se viu alterada por choros penosos de dor na calada da madrugada. Nem o afago nos cabelos, nem os leves beijos nas bochechas aveludadas, nem o acalentar em meus braços. Não houve jeito. Até que, minutos eternos depois, ouço um balbuciar sonolento entre uma lágrima e outra:

- Gagau...

Vamos fazer gagau. Bora. E bota leite. E acrescenta o Mucilon de arroz. E adiciona água. Força, garota, força para apertar essa garrafa térmica. Agita. Agita mais para não ficar com bolinha.

Detonou a mamadeira. Estava com fome mesmo. A bichinha.

Céu clareando. Os primeiros raios de luz brigando com as nuvens em profusão para chegar à minha janela - e vencidos por elas. Ao sono profundo, que deve ter durado umas três horas desde aquele gagau, vou dando adeus. Outro choro. Mais frágil, apelativo, quase um clamor. De novo, nem o afago nos cabelos, nem os leves beijos nas bochechas aveludadas, nem o acalentar em meus braços deram fim aquele tormento. E então:

- Pi!

- Pi, não filha, o pi (peito) tá dodói, não dá.

- Gagau...

Um espanto! Outro gagau? Ave Maria! Como assim?

Enfim, tomou quase todo. Só que o estômago cheio não garantiu sucesso algum. O choro não teve fim.

- Ente, ente, ente.

- O quê, meu bem, diga, o que é que você quer?

- Ente! Ente! Ente!

E lá fui ao banheiro buscar o tubo de desodorante aerosol com que ela brincara a tarde inteira no dia anterior.

- Aqui, o desodorante. Tome, vá dormir com ele.

- Ente!!!!!!!

E o choro ficou mais forte, uma mistura de desalento e raiva.

Meu Deus, ente? Ente... ente... dente!!!! Isso! Dente!

- Ô, filhota, é o dente é? Tá doendo? Vai ficar boa, bebê. Venha cá, venha. Dente chato, perturbando o sono da minha menina. Chato, chato, chato!

Aliviada por se fazer entendida, vitoriosa naquela batalha da comunicação, foi relaxando, relaxando e, não deu um minuto, já adormecia novamente em meus braços. Para acordar às 08:30 feliz da vida. E a mamãe de pé há algumas horas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário